FANDOM


Alberto Clemente
Alberto Clemente
Informações
Também conhecido como Don Clemente
Sexo Masculino
Nascimento 15 de julho de 1897
Morte 15 de junho de 1951
Facção atual Clemente
Ocupação Empresário
Cargo Don
Aparições Mafia II
Ator/Dublador Nolan North

Alberto Clemente é um personagem e o Antagonista principal da primeira metade de Mafia II. Ele é o fundador e o Don da Família Clemente.

DescriçãoEditar

O Don da Família Clemente, uma das famílias da máfia de Empire Bay, Clemente é ganancioso, cruel, desonesto e violento. A organização dele é vista pelas outras famílias como de segunda categoria e inferior, mesmo sendo poderosa. Isso é devido as práticas extremamente corruptas de Clemente, até pelos critérios da Máfia, como por exemplo, cobrar $5000 apenas para entrar na família dele como um "homem feito". Ele também não respeita muito os valores tradicionais da máfia, disposto a traficar drogas para aumentar seu lucro.

HistóriaEditar

PassadoEditar

Clemente nasceu em 15 de julho de 1897 na Sicília. Na sua juventude, Clemente trabalhou para seu tio Silvio, um poderoso mafioso, e em 1920 assassinou um delegado da polícia de Palermo. Após isso ele viajou para Empire Bay nos Estados Unidos e através dos contatos criminosos do seu tio, conseguiu estabelecer-se na cidade.

Durante a Proibição, Clemente organizou um esquema de tráfico e contrabando de bebida. Ele lucrou muito com isso, ajudado por alguns outros italianos, entre eles Luca Gurino. Ele financiou a reforma do Bar do Freddy, e ofereceu proteção ao bar e ao dono, Freddy Macchione, em troca dos serviços dele de oferecer a bebida contrabandeada de Clemente para os fregueses. Ele também organizou vários esquemas ao longo da cidade, e fundou o Matadouro Clemente em Riverside, onde as atividades mais sombrias e sangrentas de Clemente aconteciam.

Assim, Clemente fez grande lucro, recrutou vários italianos ao longo da cidade, e em 1929 foi aprovado pela Comissão a começar sua própria família. A guerra de gangues entre as famílias Vinci e Moretti resultaram no enfraquecimento delas duas, e Clemente aproveitou para tomar várias das operações e negócios dos Vinci e Moretti no processo. Ele também comprou algumas ações na Empire Bay Cab & Co. de Sydney Pen, e usou a companhia de Pen para desviar dinheiro.

Ele também aceitou Henry Tomasino na sua família, que era o filho de Silvio Tomasino, um mafioso e velho amigo de Clemente.

Tráfico de Drogas e Operações AtuaisEditar

Clemente se envolveu no tráfico de drogas como heroína e cocaína na cidade, assim como a Família Falcone, formada por Carlo Falcone do que sobrou da família Moretti. Isso causou discórdia entre Clemente e Falcone, pois a disputa pelo topo da operação de drogas estava ficando quente. Clemente também não estava em boas relações com Don Frank Vinci, Don da família Vinci, por causa dele ter tomado alguns dos esquemas de Vinci e ter se envolvido na operação de drogas, que Vinci era totalmente contra pois era proibido pelos valores tradicionais da máfia.

Em 1945, Pen abriu uma destilaria em Sand Island e se recusou a dar a Clemente ações e parte do lucro dela. Furioso com Pen, Clemente fez seu capo Luca Gurino enviar assassinos atrás de Pen, mas eles falharam. Nesse mesmo ano, um empresário pegou dinheiro emprestado de Clemente para abrir uma joalheria no shopping em East Side, mas não pagou de volta. Clemente então fez Luca novamente resolver ambos os problemas através de Vito Scaletta e Joe Barbaro.

Guerra com FalconeEditar

As tensões entre Clemente e Falcone por causa da operação de tráfico de drogas resultaram em Clemente fazer Luca sequestrar Harvey Epstein, o contador de Falcone, para interrogar-lo e descobrir mais sobre as operações de Falcone. Epstein foi resgatado por Vito Scaletta, entretanto, que agora trabalhava para os Falcone, e Luca acabou morto no processo.

Com isso, o conflito entre Clemente e Falcone se tornou público, mas Falcone estava na vantagem pois ele tinha uma justificativa para matar Clemente, e Clemente não, pois foi ele que sequestrou e torturou os homens de Falcone. Clemente convocou uma reunião com seus capos, seu Consigliere e os outros membros importantes de sua família no Empire Arms Hotel para discutir os planos seguintes.

MorteEditar

Em 15 de junho de 1951, enquanto Clemente estava na reunião, Vito e Joe, que agora eram membros da família Falcone, se infiltraram no hotel para assassinar Clemente, pois Falcone queria a competição eliminada para dominar o tráfico de drogas da cidade. Eles plantaram uma bomba abaixo da mesa da sala da reunião, mas quando ele explodiu, Clemente estava no banheiro.

Com seus capos e Consigliere mortos, Clemente reconheceu Vito e Joe e tentou escapar do hotel, fugindo em uma limousine e matando um associado de Joe no processo, Marty Santorelli. Tentando escapar de Vito e Joe pelas ruas do Centro da cidade, o carro que transportava Clemente foi danificado gravemente por Vito e Joe.

Room Service 09

Joe matando Clemente

Mal sobrevivendo, Clemente fica preso no assento de trás do carro, que estava prestes a explodir. Querendo se assegurar que Clemente iria morrer, Joe pega sua Thompson 1928 e metralha o motorista e atirador do carro, antes de olhar para Clemente e dizer "isso é pelo Marty", e então metralhar Clemente a queima-roupa.

FamíliaEditar

  • Silvio Clemente (tio)
  • Paolina Ongaro (mãe)
  • Roberto Clemente (pai)
  • Nora Toniolatte (irmã)
  • Fabiano Clemente (filho)

Aparições em MissõesEditar

Joe's AdventuresEditar

CuriosidadesEditar

  • Ele vive em uma mansão luxuosa em Highbrook, que pode ser vista se Vito e Joe o deixarem escapar.
  • De acordo com A História de Frankie Potts, Clemente é solteiro e tem um filho chamado Fabiano, que vive atualmente na Sicília.
  • O exílio forçado dele da Sicília após matar um delegado da polícia é provavelmente baseado no exílio de Michael Corleone de Nova Iorque após matar Virgil Sollozzo, um mafioso rival, e Mark McCluskey, um delegado de polícia.
  • Uma versão mais jovem de Clemente pode ser vista no prólogo do jogo no porto.

GaleriaEditar